Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

FOI NUMA DAS MINHAS VIAGENS...

"... Ah, quando nos fazemos ao mar
Quando largamos terra, quando a vamos perdendo de vista,
Quando tudo se vai enchendo de vento puramente marítimo,
Quando a costa se torna uma linha sombria,
Nessa linha cada vez mais vaga no anoitecer..." Álvaro de Campos

Então a vida muda,
Deixam-se de lado as razões,
Acabam-se os amores, as fúrias, as mágoas,
As ilusões,
Entra-se no Mundo Abstracto
Do movimento das águas,
Das ondas causando um balancear desencontrado,
Das brisas perfumadas por diferentes oceanos,
Das brumas surgindo como que do nada,
Das noites escuras, dos dias claros,
Dos ventos enchendo velas
Que nos empurram para longe, para longe...

2 comentários:

Anónimo disse...

PARA TÃO LONGE QUE AS VEZES ESQUEÇO DE VOLTAR...

Anónimo disse...

como seria bom estarmos tão longe, tão longe, onde ninguem nos pudesse enxergar...sós e os sons vindos do mar. desse mar infinito, por vezes cruel,mas ainda assim tão bonito! Eu quero ir, ficar e fugir...eu quero puder gritar e só a lua e o luar me ouvir...Quero a sensação duma onda em mim a balouçar, quero,o abraço da gaivota que grita no espaço! quero essa gaivota d'asa cortada, desesperada,não sabe onde pousar...