Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 30 de maio de 2010

COINCIDÊNCIAS

Diz-se por aí que as coincidências não surgem por acaso. Eu acho que é verdade!
Elas surgem, não porque as procuramos, mas porque, quase sempre, fazemos qualquer coisa para que aconteçam. Não há outra maneira!
Pela minha vida já me aconteceram muitas! Mas nunca foi assim: olha, uma coincidência!
Hoje foi mais uma situação destas: deparei-me, no meio duma rua,  no meio desta Europa, com um grupo de cidadãos que falavam a mesma língua que eu. No meio da rua dum país, em que a língua falada em nada se assemelha com a nossa, ouvir alguém que fala a língua de Camões arrebita-nos as orelhas, desperta-nos curiosidade, faz-nos parar no nosso rumo determinado. Uma paragem, um pedir desculpas por me meter no meio do grupo e um dizer que apreciei o facto de falarmos a mesma língua. Quem são, donde vêm para onde vão? Eram de terras conhecidas, de locais de meus conhecimentos, com amigos comuns e episódios de encontros recentes... e tudo isto no meio de um mundo que nunca iria imaginar aproximações e este tipo de coincidências.

Não quis deixar esta referência esquecida. Até porque, graças às novas tecnologias da comunicação, naquele momento, três pessoas se puseram em contacto. E as emoções falaram alto, disseram do bom do poder da comunicação entre as pessoas e da tal coincidência que, se não fosse procurada nunca teria acontecido.
Não é Mariza, não é Rita, não é Juliano, não é Viviane, não é Jorge? Ainda bem que há Pedras Bonitas!

1 comentário:

Viviane Costa disse...

Essa vida é mesmo incrível, não é? Estou pasma com a coincidência! Beijo. :)