Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 3 de maio de 2010

A BELEZA DAS COISAS

A beleza das coisas está no nosso coração.
Está no modo como as vemos, como devolvemos aquilo que recebemos.
Olhar sem ver não serve de nada, porque ficamos presos a uma imagem que apenas reflecte o que se nos apresenta e não o que, intrinsecamente, é.
Para olhar é preciso, também, saber ver.
"...Dizes que olhaste, mas viste mesmo bem? Viste também com os olhos da alma? com o coração? Ou só passaste os olhos? Apenas fizeste um scaning?"
Por isso é importante saber olhar, ver, ler e interpretar. Ter sempre o espírito alerta e aberto a tudo, e extrair a beleza das coisas.
É como na amizade, no amor!

"O Amor é Cego e Vê"
      No homem ou na mulher
       Amor é uma cegueira
       Mas só não vê quem não quer
       E vê sempre a quem o queira.
       Amor é cego e vê, não sei porquê,
       Amor é cego e vê, não sei porquê.
       Deus lhe deu esta graça
       Este poder fatal
       De ver dentro de nós o que se passa
       Como se o peito fosse de cristal.
       Se o Amor nos olha, logo a gente
       Preso na alma o sente
       E escuta a sua voz.
       Mas o que enfim se não entende:
       Aquele a quem se prende
       É quem nos prende a nós
       Amor é viver não sei porquê
       Por mais que feche os olhos pra não ver
       Acabas sempre por me aparecer
       Se o Amor nos olha, logo a gente
       Preso na alma o sente
       E escuta a sua voz.
       Mas o que enfim se não entende:
       Aquele a quem se prende
       É quem nos prende a nós
       Nos prende a nós.


"...O amor é capaz de converter as coisas mais baixas e vis, sem qualquer valor, em coisas dignas e elevadas. O amor não vê com os olhos, mas sim com a alma, e por isso pintaram cego o alado Cupido. Nem o Amor revelou alguma vez discernimento. Cego e alado é emblema da sua imprudente impetuosidade: diz-se que o amor é como uma criança, porque na sua escolha erra frequentemente. Tal como os rapazes traquinas que a brincar negam as suas faltas, assim mente o Amor...." [Shakespeare]



Hoje fico por aqui, podia falar de Bruxelas, mas foi a beleza eterna da Grande Place, agora preenchida por milhares de flores que me fez despertar para a beleza das coisas e o modo como devem ser vistas. 

2 comentários:

Anónimo disse...

...amar,dar tudo,tocar...viver a vida,coma música...indefinidamente,amar.(Caetano Veloso)
Perdoa-me o plágio, mas acho essa música muito ilustrativa.
Realmente o amor, tudo pode,tudo sente, tudo faz ver, ou tudo faz não ver.E é esse jogo de sedução, que impulsiona aos Homens, a travarem guerras e moverem mundos.
Hoje as guerras são frias, feitas por poder,dinheiro,petróleo, e ás vezes por nada!
Falta-nos o lirismo do amor maior, do poeta. Falta-nos visão.

Anónimo disse...

O que nos falta é CORAÇÃO...