Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 19 de maio de 2010

10H 10M

Para mim é por uma questão de simetria.


Acho que os ponteiros, naquela posição, deixam ver a beleza de um mostrador, facilitam a leitura da marca ou de outras inscrições, quando existem, e harmonizam a peça.

Gosto muito de relógios - de bolso principalmente - e comecei a coleccioná-los faz, para aí, uns 30 anos.
 
Tenho alguns bastante antigos, a roçarem os finais do Século XVII  e o início do Século XVIII. São autênticas preciosidades, não só pela minúcia dos mecanismos em si, mas também pelo trabalho de artista, pela idade e pela raridade. Não são, de modo nenhum, peças de precisão, um atraso ou avanço de uma hora por dia, nestes relógios, não tem qualquer interesse. Aliás, os primitivos relógios de bolso, só tinham mesmo um ponteiro, o das horas.
Naqueles tempos a medição do tempo e as horas tinham uma importância relativa. O tempo era contabilizado em função dos toques dos sinos dos campanários das Igrejas. Para designar as diferentes horas do dia, empregava-se a divisão eclesiástica: as Laudes (ao nascer do sol), a prima, a tércia, a sexta (ao meio-dia), a noa, as Vésperas (ao pôr do sol), as Completas (ao deitar) e os Nocturnos ou Matinas (já depois da meia-noite). E as pessoas iam organizando a sua vida em função do toques dos sinos.


Nas aldeias a vida corria com a calma que o tempo permitia e o tocar do sino era também tempo de oração, como as Avé Marias que se rezavam, ainda, nos tempos da minha juventude.


De vez em quando limpo os meus relógios, dou-lhes corda para que o maquinismo ganhe vida e o óleo lubrificante possa espalhar-se por todas as peças, e ponho-me a pensar como o tempo - a quarta dimensão? - ganhou uma importância tão fundamental nas nossas vidas. 


Não há dúvida que o tempo sempre foi importante mas, a verdade é que, agora, ele impôs-se de tal maneira sobre o nosso viver que não somos mais do que  escravos desta imaterialidade tão real que é o tempo.


Por isso, os ponteiros dos meus relógios estão sempre na mesma hora.  Assim sei sempre as horas que são.


Pode-me dizer as horas?  São 10 horas e 10 minutos.



1 comentário:

Anónimo disse...

ESPETACULAR!!
A relatividade do tempo, sempre fascinou-me, o que pode ser muito para uns,pode não o ser para outros.
E nós vamos vivendo com nosso tempo, e no nosso tempo.
Beatriz Morcego