Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

OS SANTOS

Encheram-lhe a casa de figos, romãs, castanhas, passas, nozes e avelãs, fora o vinho abafado, a jeropiga, a água-pé e as célebres broas dos santos.

É a tradição! Ainda se mantém. Felizmente.

É a festa de Todos-os Santos. É o dia em que os maus pagadores, quando dizem que só pagam no dia de São Nunca à tarde, vão ter a ocasião e a oportunidade de o fazer...

É também a altura de pedir o "Pão por Deus": crianças que se juntam e andam de porta em porta a pedir o "Pão por Deus", numa tradição parecida com a das Janeiras; entoam cânticos tipo:

"Pão por Deus,
Fiel de Deus,
Bolinho no saco,
Andai com Deus."



Ou então:

“Pão, pão por Deus
à mangarola,
encham-me o saco,
e vou-me embora"


 Ou ainda:

"Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós
Para dar aos finados
Qu'estão mortos, enterrados
À porta daquela cruz

Truz! Truz! Truz!
A senhora que está lá dentro
Assentada num banquinho
Faz favor de s'alevantar
P´ra vir dar um tostãozinho."

Se os donos da casa não dão nada: 

"Esta casa cheira a alho
Aqui mora um espantalho
Esta casa cheira a unto
Aqui mora algum defunto."

E, se dão alguma coisa:

"Esta casa cheira a broa
Aqui mora gente boa.
Esta casa cheira a vinho
Aqui mora algum santinho."

E lá vão enchendo o saco de pano com frutos secos, broas e romãs.  

As tradições que ainda se vão mantendo... um pouco do Portugal que não morre! 

Sem comentários: