Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

VAN GOGH

Amesterdão enche a alma de quem a visita. 

O casamento dos canais com as ruas, canais que percorrem a cidade como dedos de duas mãos abertas que se tocam, as pontes que  ligam e fazem lembrar as cegonhas dos poços de antigamente, as cores dos barcos-residência definitivamente encostados às margens de pedra, as bicicletas paradas, quase amontoadas, ou a circular por todo o lado, os mercados de flores, as ruas floridas, as casas altas e estreitas, o movimento das pessoas,  os eléctricos com o seu "triiiimmmm......" característico, uma vida quase de encanto, de fascínio, de se estar bem.

Mas Amesterdão é também, e muito, cultura... A Ronda Nocturna de Rembrandt, no Rijksmuseum, esmaga pela grandiosidade, encanta pela história de cada personagem, a figura da menina no meio daqueles homens sérios... 


 Mas é Van Gogh, no seu museu, quem preenche o imaginário, quem faz saltar as cores diante dos olhos, quem mexe com os sentidos, quem desorienta os sentires, quem abana as emoções, que quase permite uma lágrima comovente...




Uma loucura feita arte, uma arte, por vezes, feita loucura na mistura das cores... no calcar do pincel, no efeito do matizar, nos tons fortes, nos azuis, nos amarelos...


nos girassóis, nos seus girassóis... 




O museu Van Gogh merece mesmo uma visita, mas estas fotos não se encontram lá...





2 comentários:

Anónimo disse...

Eu fui muito muito feliz em Amesterdão! Espero voltar!

Anónimo disse...

estive lá e sim estas fts não estão lá...:)


beijo.


isabel memdes ferreira.