Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A OUTRA MARGEM

Esperava o barco... queria ir para a outra margem... tinha prometido que ia, que lhe levava o combinado, a que juntava um convite para jantar... ali, na Trafaria, do outro lado da Torre de Belém, mesmo em frente... eram só duas milhas de rio-mar... dez minutos de travessia e logo se encontravam.

A noite estava serena mas fria, sem vento, as águas calmas, quase como um espelho... permitiram um atravessar suave, vibrado apenas pela rotação das máquinas e do hélice, originando uma trepidação que não incomodava, quase dando a sensação de uma vibro-massagem que percorria o corpo encostado naquelas cadeiras de madeira, sem qualquer revestimento...

Se a noite estivesse quente, de luar... seria uma travessia bem agradável, lá fora, no convés... mas hoje, com o frio, a passagem para a outra margem, sem ser penosa era, no mínimo, desconfortável... mas valia pelo encontro...

Quase um ano de ausência, uma distância enorme em tempo e, ao mesmo tempo, tão perto... era só uma questão de atravessar o rio, para a outra margem...

O trabalho... os afazeres... a militância... as reuniões... quase não sobrava tempo... hoje não... amanhã nem pensar... p'rá semana, talvez... e o encontro a distanciar-se... a escapar...

Mas desta vez não... estava tudo combinado... a hora, o local, até mandara reservar mesa.... no Parafuso! A "fondue" de lagosta a abrir apetites... a fazer salivar desejos...

O rio a meio... um petroleiro enorme a passar junto... o barco dos pilotos... e o cais logo ali, bem iluminado...

 (Trafaria - Junho 2009)
 
Um salto para terra... e ela, ali, casaco escuro, apertado... o frio... um gorro de malha cinzento escuro, de luvas e cachecol... ele, com o ramo de rosas, vermelhas... sempre... a abrir os braços na procura do abraço... do abraçar saudades imensas...

Seguiram, juntos, braço dado... encostados... até ao restaurante... ali, quase ao lado do barco... a passar frente à praia fluvial, de areia limpa... pedia um passeio... mas o frio e a hora... prevaleceram... a mesa à espera... a "fondue" preparada... o espumante bem frio... rosé...

O brinde, os olhares, os sorrisos, a partilha da comida, a conversa boa...

Nessa noite ele ficou... ali... na outra margem!

Sem comentários: