Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

SALDOS

Hoje começam os saldos. Começa a vender-se, quase ao desbarato, aquilo que sobra nas lojas, aquilo que as pessoas não escolheram para comprar, ou que não compraram  na altura porque, por serem caras, se guardaram para agora, na esperança de as encontrarem a preço mais convidativo

Os descontos são grandes, chegam aos 70 e 80% do custo inicial!

É uma maneira de reactivar o comércio em quebra, de animar as lojas, não de mirones que se passeiam e não compram nada mas de, quase certos, compradores de produtos que lhes são úteis e com preços mais em conta.

As montras têm cartazes enormes com a palavra SALDOS em letras bem grandes. Uns até colocam o valor do desconto: "dos 30% aos 80% nos produtos indicados".

(Google images)

E os saldos são pelo país todo!

Altura boa para aproveitar e pôr, também em saldos, este país.

A despachar ou a pôr à venda, por bem barato, aqueles deputados que nada fazem e se espreguiçam pelos bancos da Assembleia da República, os que enriqueceram de maneira inesperada à custa de negócios ilícitos, de compadrios e de parecerias, os governantes que governaram mal o país e o ajudaram a pôr nesta desgraça, os "lobbies" que manipulam tudo, os colarinhos brancos que andam por aí e, enfim, todos aqueles "monos" que ninguém quer!

Podia ser que "isto" passasse a funcionar um pouco melhor, com mais seriedade e honestidade...

2 comentários:

Carlota Pires Dacosta disse...

Acho que mesmo em saldo, ninguém os comprava (os governantes), claro!!
Beijo

Anónimo disse...

Nem dados os quereriam!

Beijos