Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 11 de dezembro de 2011

ENFEITES DE NATAL

Este ano não há iluminações de Natal. Ou melhor, quase não há!

Também não são muito precisas. Estão associadas ao Natal, não pela Festa da Natividade, não por causa do nascimento de Jesus, mas por questões puramente comerciais. 

Pensar em Natal, pelo menos aqui em Portugal, é pensar em prendas. 

Os nossos vizinhos espanhóis entendem a quadra natalícia de uma forma mais acertada: guardam a noite de Natal para a celebrar em família, da forma mais cristã possível, e fazem a entrega das prendas na data correcta, o dia de Reis, que corresponde à altura em que os Reis Magos ofereceram as prendas ao Menino: o ouro, o incenso e a mirra.

Mas o comércio do Natal é muito forte e, por isso, as decorações e as iluminações de Natal: as luzes a piscar, o efeito de neve, os pinheirinhos, os trenós, as renas, o Pai Natal - agora há uns horríveis que trepam pelas paredes e entram pelas chaminés quase a confundir-se com os assaltantes que, cada vez mais,  há  por aí -. 

O topo das decorações de Natal são, ou têm sido, as árvores gigantes feitas em estruturas enormes e muito altas com uns bons milhares de luzinhas das mais diversas cores, que apagam e acendem, sob a batuta de um programa de computador. E cada terra quer reivindicar, para si, o estatuto da árvore mais alta, da mais luminosa, da mais original... como se o Natal, o verdadeiro Natal tivesse alguma coisa a ver com isto.



(foto do autor - Ponta Delgada)

De qualquer modo esta árvore, associando-se a esta resignação natalícia, resolveu prescindir das luzes, das bolas, dos sinos e outros berloques, do algodão a imitar neve e cobriu-se de um vermelho brilhante e intenso para festejar a quadra festiva que agora se aproxima.



2 comentários:

Anónimo disse...

Hoje, discordo. Ospresentes são uma forma de se mostrar que se pensou no outro e devem ser entegrgues na noite de Natal. É aasim em Portugal e, por favor, não nos venham impor também tradições alheias! E sinto a falta das iluminações, o mundo ganhava outro brilho...
Beijos
Berta

Carlota Pires Dacosta disse...

Embora não goste muito do Natal, a iluminação natalícia é sempre um momento que me deixa a sorrir.
Este ano, por aqui não há grande iluminação,mas também não faz mal.
Beijo