Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

QUE DIA!

Parece que hoje os ventos, as águas, os desconfortos, os desagradáveis se juntaram e, vai daí, cozinharam um dia horrível.

Um dia que até nem acordou mal mas que, com o correr das horas, se foi invernizando e, agora, se transformou num fim de tarde horroroso.

O vento já não uiva, brame, a chuva já não pinga, molha mesmo, as árvores partem-se pelos galhos, as folhas secas do outono cirandam pelo ar, a casa estremece e ecoa barulhos, as janelas abanam e dão estalos, a televisão perdeu a imagem e o pio, as luzes tremelicam e a lareira nem se deixa acender por causa do vento que lhe sopra da chaminé.

Lá fora, os gatos, por causa do cio de uma gata amarela, lutam bravamente e gritam de forma desalmada.

A tarde escureceu mais cedo e a noite promete do mesmo.

Enrolado numa manta quente deixo-me estar quieto a esperar que o sono me obrigue a ir para a cama! 


Entretanto, e enquanto tiver luz, vou lendo um livro.

Felizmente que hoje não é uma sexta-feira-13 porque, dizem, costumam ser dias azarados!



2 comentários:

Anónimo disse...

Eu adoro noites assim!! Só faltava a lareira e uma boa companhia para ser perfeito.

Beijinhos

Carlota Pires Dacosta disse...

Há dias cinzentos, que nos vão "encizentando" ao longo do dia.
Mas, mesmo assim, o cenário é BELO!!!!
beijo