Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

OS MAQUINISTAS

Resolveram fazer greve na altura do Natal!

Com ar de Administradores de Empresa, os privilegiados maquinistas da CP, resolveram não ir trabalhar por causa de uns processos disciplinares que a Administração lhes levantou por não terem cumprido os serviços mínimos numa greve anterior. Ou seja, não cumprem o que devem e recusam, agora, os processos disciplinares que lhes são devidos. E como não querem ser admoestados, não fazem mais nada: declaram, prepotentemente, uma greve nestes dias de Natal e nos de Ano Novo.

Vão prejudicar milhares de pessoas que, nesta época do ano, costumam utilizar o comboio para irem ter com a família distante, independentemente do prejuízo causado aos outros trabalhadores que usam o comboio no dia a dia para o seu trabalho. Os prejuízos para a companhia, para Portugal, são avultados. Mas eles não querem saber: ganham bem, a família viaja de borla nos comboios e têm uma data de regalias.

É mais um daqueles sindicatos comandados por chefes intelectualmente anquilosados, agarrados ao poder, que não querem largar o tacho, submetidos às ordens de um partido que se recusou a prestar homenagem a um grande defensor das liberdades democráticas, Vaclav Hável, que chorou a morte do querido líder tirano da Coreia do Norte, e está apostado em afundar, ainda mais, este país em má situação.

Mas a desgraça não acaba aqui: o Governo disse que não ia dar tolerância de ponto no Natal! O país está na penúria, é preciso trabalhar e cada dia de paragem de trabalho representa uma perda de mais uns milhões euros.

E, como é preciso trabalhar, o que fazem algumas câmaras Municipais, nomeadamente a de Lisboa? Concedem, à revelia das indicações do Governo, a tarde de tolerância. E o Parlamento? Mete férias até ao próximo ano, porque os funcionários e os senhores deputados estão muito cansados! E os Tribunais? Metem, do mesmo modo, férias judiciais até ao próximo ano e os processos atrasados de anos vão ficando cada vez mais atrasados!

E a classe média o que faz? Não tem outro remédio: trabalha sem tolerâncias, paga os impostos sem atrasos e subsidia as tolerâncias, as férias e as greves desta gentinha que se está marimbando para um país chamado Portugal.

Para estes, para os grevistas, para os "tolerantistas", para os "ferialistas", só para eles, desejo um infeliz Natal!

Para os outros, para os que trabalham, para os que lutam por um país melhor, os votos de Feliz Natal!

E viva esta democracia!

1 comentário:

Anónimo disse...

Democracia da treta, é o que é!

Beijos
Berta