Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

MARGINAL

Aproveitou o domingo soalheiro, pegou no seu carro antigo, quase uma relíquia, e foi dar um passeio pela Marginal até Cascais. 

A manhã convidava, um vento fresco, com aquele cheiro de maresia a entrar pelas narinas, um sol acolhedor, filtrado por uma ou outra nuvem feita de farripas brancas, e uma temperatura agradável, a fazer esquecer os calores exagerados de um verão que não queria acabar. 

Àquela hora, quase sem trânsito, deu para olhar, com mais tempo, o azul do mar que se estendia logo adiante, para seguir o curso do ainda Tejo, triangulado por muitas dezenas de velas brancas, certamente de alguma regata local, e prestar atenção à outra margem, de onde o Cristo Rei parecia lançar um abraço de boas vindas. 

A bica foi bebida na esplanada da Boca do Inferno, e o carro, no estacionamento em espinha, despertava curiosidade, obrigava a fotografias de turistas que queriam perpetuar a sua imagem junto a um carro talvez parecido com um dos seus pais ou avós. 



A manhã, com o sol a brilhar, desafiou ao prolongar do passeio ao Guincho, a continuar serra acima, até Sintra, e a um retorno a casa, sem problemas.

Ao passar nas curvas da serra de Sintra, imaginou-se aos comandos do Chevrolet  de Álvaro de Campos a passear os sonhos, sempre os sonhos, os mesmos sonhos de Gedeão, aqueles que, também,  comandam a vida...

2 comentários:

Anónimo disse...

Sempre retemperadora e fantástica, a vista desse mar!!

Nuno Lacão disse...

Belo passeio! Para mim seria perfeito num belo Aston Martin Vanquish V12... Sonhos...