Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O PALÍNDROMO

Hoje falou-se muito no 11-11-11 [ dia 11, do mês 11, do ano (dois mil e) 11 ] e, também, no 11-11-11-11-11-11 ( 11 horas, 11 minutos, 11 segundos, do tal 11-11-11 ) e falou-se, também, no dia de São Martinho e no Magusto.

Claro que, para que tudo desse certo, à data do ano - 2011 -,  foi preciso tirar o 20, senão... 

E foi por isso que as profecias, há muito anunciadas - o fim do mundo, terramotos, catástrofes -, não surgiram: a chuva veio na mesma, o sol nasceu à hora prevista e foi-se deitar também como estabelecido, a lua lá estava no céu, gorda de cheia, mas quase não foi avistada por causa das nuvens, o Orçamento de Estado foi aprovado na generalidade, as castanhas compraram-se, venderam-se e comeram-se, o Magusto cumpriu-se e o São Martinho celebrou-se com a jeropiga. Desta vez sem verão, sem a janela de sol e de calor tradicionais!

(Foto do Picasa)

Que me lembre, no dia 11-02-2011 - nesse dia é que houve a capicua, ou palíndromo, perfeitos -, também não aconteceu nada de especial.

Vamos ter que esperar, agora, pelo dia 21-02-2012 a ver o que dá profecia para aquela data: a do aperto do cinto, da redução dos proventos, do aumento do custo de vida, dos impostos em alta e da vida em baixa.

Quase de certeza que esta não irá falhar!

 

2 comentários:

Anónimo disse...

Parvoices de uma sociedade à pracura de causas para o desrazoamento que impera!
Beijos
Berta

MJ FALCÃO disse...

Das castanhas é que eu gosto mais! Quero lá saber do fim do mundo...
A sério! Abraço gd