Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 22 de novembro de 2011

A NANA PIREZ

A Nana partiu, deixou-nos, e deixou o Clube da Letra de luto e pobre.



Pois é, Nana, apesar de nos termos conhecido tarde, apesar da pouca convivência, apesar da distância, apesar de tudo, tivemos boas conversas e sempre estivemos juntos algumas vezes - a primeira, recordo bem, foi em casa de Marion, faz uns três anos, e foi lá que tomei o meu primeiro contato com o Clube da Letra, pelo meio, nos encontrámos em Lisboa e jantámos no Martinho da Arcada, o café do Fernando Pessoa, e a última vez foi em casa da Pietrina, em Junho passado, num luminoso domingo de feijoada - contámos estórias, jogámos de adivinhas, tentámos ler os pensamentos uns dos outros, prosou-se, rimos muito e até tirei algumas fotografias a você...


Depois desse encontro, via e-mail e pelo Facebook, fomos trocando bastante correspondência. A última foi por intermédio de sua filha, no dia de meu aniversário, por já se sentir sem forças para teclar... 
















Vou recordar sempre a Nana e o seu boné, quase uma marca de estilo, a Nana e o seu cigarro, a Nana e a sua voz inconfundível, a Nana e a sua forma de estar na vida e em sociedade, a Nana e o seu inconformismo...




A Nana tinha orgulho das suas origens, era a mais   portuguesa das brasileiras ou a mais brasileira das portuguesas, como se queira, a Nana conquistou muitas amizades, soube ser sempre respeitada e acarinhada, soube lutar pela vida, a Nana venceu muitas batalhas mas perdeu a última, a decisiva, a fatal... 















Mesmo que não fosse esse o seu desejo, mesmo sabendo que o percurso da sua doença era irreversível, a Nana preservou, para si e para os seus, as suas dores e os seus sofreres, mas a Nana não conseguiu calar, com a sua partida, a dor enorme que causou aos seus amigos, a Nana não vai conseguir apagar a saudade imensa que deixa no coração de todos, a Nana vai estar sempre presente nas reuniões do Clube da Letra.


Boa viagem, Nana!

ADEUS NANA, até sempre!     


(Fotos do autor)

9 comentários:

Anónimo disse...

Raul,

É verdade. A notícia nos deixou de luto e mais empobrecidos. Só agora cheguei em casa e parei para ler e-mails. Só encontrei tempo para responder ao Kelly na hora do almoço.
Gostaria de ter escrito para Nana tal você fez com tanta sensibilidade e propriedade. Não tive a oportunidade de conviver com Nana o tempo que gostaria. Mas as oportunidades que tive foram suficientes para saber que ali estava um ser humano especial e que deixa muitas saudades.
Suas fotos e texto nos coloca mais próximos dela. Você a retratou de corpo e alma. De forma excepcional!
Obrigada pelo envio, beijinhos, lola

Anónimo disse...

Caríssimo Raul
Lindo seu texto! Obrigada por ter criado uma coisa tão bonita para a nossa queridissima Nana.
O texto foi lido hoje, na casa do Chibante, pela Cecilia. Alguns de nós fomos para lá para não ficarmos tristes sozinhos. Além do dono da casa, estávamos Vera, Aloysio, Anna Kelly, Cecilia e eu. E NANA, é claro!
Fomos para lá depois do sepultamento. Fizemos bem uns aos outros.
E você esteve presente com seu texto e seu carinho de sempre. MUITO OBRIGADA!
beijos
anahertz

Anónimo disse...

Caríssimo Raul,
Não tive o privilégio de conhecê-lo pessoalmente, pois estava viajando quando da reunião na casa de Pietrina. Mas, já conheço um pouco de sua fidalguia e poesia.
Belíssima a despedida que vc preparou para a Nana!
Abraços,
Rosana.

Anónimo disse...

Raul,
Não tenho palavras para expressar o quanto fiquei emocionada pela sua homenagem à minha mãe. É, sem dúvida, um privilégio ter nascido e sido gerada por uma pessoa tão especial. O vazio que ela deixa é enorme, pois ela sempre foi grande parte da minha vida... e vai continuar sendo. Muito obrigada! A minha viagem e da Cris à Portugal, mais do que nunca está de pé! E agora vamos para viajar com ela, que tenho certeza, estará conosco. Quero muito te ver, Depois das festas de fim de ano, eu te procuro. Um beijo grande, Tatá

Carlota Pires Dacosta disse...

Um belíssimo post.
Uma bonita homenagem, quase que ficamos com vontade de ter conhecido também a D. Nana.

Beijo

MJ FALCÃO disse...

Custa muito ver os amigos partir... É bom que nos recordem como recordou a sua amiga, Nana.
Abraço amigo

Anónimo disse...

Querido amigo Raul
Emocionante a sua narrativa-homenagem à querida Nana.Ela é daquelas pessoas que têm uma marca registrada, não passou
pela vida sem imprimi-la.Forte!Marcante!Amiga!
Isso você captou com exatidão, imenso carinho e sensibilidade!
Obrigada por todos nós!
Saudades da Nana.
Beijos,
Vera

Anónimo disse...

Raul,
lindo texto. As fotos, bonitas demais. É... O Clube da Letra empobreceu.
Anna Kelly

Anónimo disse...

Lindo seu texto, meu querido amigo.

Como sempre, vc é um amigo fiel e muito carinhoso.

Muito obrigada por ter sido tão gentil connosco

Sua amiga com saudades,

Marion