Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, 30 de junho de 2011

PESO PESADO

Têm vindo a emagrecer, semana a semana, umas vezes mais, outras menos mas, ao fim de uns meses, a transformação é evidente. Estão mais magros, mais elegantes e, nitidamente, mais contentes  com eles mesmos.

Passa na SIC: é um concurso daqueles que quem mais ganha é quem mais perde - peso, entenda-se!

Também se podia organizar um concurso deste tipo entre os países com mais gordura de estado. Punham-se os representantes de cada país numa quinta e, cada um, ia pondo em prática as medidas que se tinham comprometido a tomar perante o eleitorado.

Semana a semana seriam pesados e ia-se sabendo das greves que tinham acontecido, dos conflitos sociais, dos aumentos de impostos, dos cortes salariais, das taxas moderadoras, do fim do subsídio de Natal, dos desinvestimentos...

Ao país que mais conseguisse reduzir a gordura e o deficit, com menos sacrifícios da população, com menos impostos e menos cortes salariais, com mais produtividade e com mais exportações, a taxa de juro da dívida seria diminuída, cada semana, de um ponto percentual. Isto, ao fim de umas semanas, seria mesmo bom!

No concurso da SIC os que perdem mais peso, os que ganham, são os que mais se aplicam nos exercícios, os que mais cortam nas calorias, os mais determinados.

Pela amostra como decorreu hoje, na Assembleia da República, a discussão do Orçamento de Estado, pelo discurso feito pelo Primeiro Ministro, pelo modo como o Ministro das Finanças se defendeu das "farpas" dos opositores, de certeza que sei quem ganharia aquele concurso, de imaginação...


1 comentário:

Maria Paz disse...

Boa comparação. Mas as dietas são para os gordos e obesos e o pior é que já há muitos portugueses com a bolsa muito magrinha, tão magrinha que não vão aguentar estas dietas. Uns não se importarão de mendigar um subsídio ou qualquer outra coisa, outros usarão estratégias menos sérias para sobreviver, e outros ainda, que não se encaixem nestes perfis, logo veremos o que lhes acontece.
A medida ontem anunciada vai mexer com quem tem o ordenado mínimo, seja, um rendimento mensal de 450 euros. Tenham dó dessa gente.