Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, 2 de junho de 2011

DIA DA ESPIGA

Celebra-se hoje o Dia da Espiga - a Quinta-feira da Espiga - que é comemorada no dia da Quinta-feira da Ascensão.

Quem está no campo, certamente, irá colher o Ramo de Espigas, composto por espigas de cereais, raminhos de oliveira, flores campestres (malmequeres, papoilas, um raminho de flores de alecrim, estes de obrigação) e mais tudo o que se queira. Nas grandes cidades já quase ninguém vai colher o Ramo de Espigas, mas há quem os venda, fazendo negócio com a tradição, por um lado, mas ajudando a preservá-la.

Como em todas as tradições existe um misto de religiosidade e de profanismo ou paganismo. Pensa-se que a sua origem esteja ligada às mais antigas tradições pagãs associadas às Festas da deusa Flora que aconteciam por esta altura e às quais se mantém ligada à tradição dos Maios e das Maias mas, também, de um antigo ritual cristão, que era uma bênção aos primeiros frutos e, ainda, por ser o dia da Ascenção de Cristo aos Céus, um dia com alta carga de religiosidade.

Foi considerado o "Dia Mais Santo do Ano", em que não se devia trabalhar e, também, o "Dia da Hora" porque havia uma hora, o meio-dia, em que em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não corriam, o leite não coalhava, o pão não levedava e as folhas se cruzavam". Era nessa hora que se deviam colher as plantas para fazer o Ramo da Espiga.

Também era a altura ideal para se colherem as ervas medicinais.

Cada elemento simboliza um desejo:
- A espiga para que haja pão (isto é, que nunca falte comida, que haja abundância em cada lar)
- O ramo de folhas de oliveira para que haja paz (lembra a pomba da paz que traz no bico um ramo de oliveira) e também para que nunca falte o azeite e a luz (isto, no tempo das lamparinas de azeite).
-  A videira para trazer vinho e alegria,
- As flores para que haja alegria trazida pelas cores das mesmas: 
    o malmequer - ouro e prata, 
    a papoila - amor e vida e
    alecrim - saúde e força.

Segundo a tradição o ramo deve ser colocado por detrás da porta de entrada, e só deve ser substituído por um novo no dia da espiga do ano seguinte.

(Fonte: Google - imagens)
Ainda tem mais uma virtude: Em dias de trovoada queima-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios.  


6 comentários:

Anónimo disse...

Conciliar tradições com inovação, muito importante para nos mantermos em equilíbrio. Obrigado por recordar.

Anónimo disse...

Um Ramo de Espigas - o meu bouquet favorito...

Twoefes disse...

Neste período em somos constantemente bombardeados de notícias: más; horríveis; arrepiantes; traidoras á pátria e todo o tipo de desinformação, sabe muito bem ler algo sobre os nossos hábitos, costumes e tradições. Muito obrigado Dr Raul Amaral Marques por nos ir recordando e explicando o significado das nossas tradições, contribuindo desta forma para que elas se mantenham vivas.

Anónimo disse...

Precisava - PRECISO!! - desesperadamente de um ramo desses...

Beijos

Anónimo disse...

...Como o meu desespero era maior,ficou o ramo para mim...OBRIGADA DR.;)
Beijos

Anónimo disse...

A harmonia, sempre. Texto-Imagem. E tem papoilas...vermelhas, sempre.