Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 10 de abril de 2011

ÚNICA

Estava ali! Solitária, no meio de uma terra de areia meia estéril. Sobressaindo de um tufo de plantas feitas de hastes, algumas com folhas verdes, outras, poucas, com gomos de flores quase a rebentar. Mas ela era única|

Amarela, luminosa, cada pétala com um olho escuro, cinco, como se estivessem a olhar a objectiva, a preparar a pose para a fotografia.

Quase vaidosa! A sorrir!


(Parque Donãna - 2010)

1 comentário:

Anónimo disse...

Poesia,citações,muita música,algumas lágrimas...e acabei aqui a noite, a olhar para uma flor amarela...obrigada...