Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 25 de abril de 2011

O 25 DE ABRIL E A CLASSE POLÍTICA

Acho que em Portugal não há. 

Há deputados, há governantes, há quem viva da política, mas classe política não há.

E, muito menos, políticos com classe.

Há uns tipos a quem o povo, desgraçadamente confiou o poder e a governação e que foram deixando este país afundar-se completamente, aliás foram abrindo os buracos para que submergisse mais depressa.

A maior parte destes fulanos enriqueceu muito, mesmo muito, à custa de truques da bolsa, de parcerias públicas e privadas, de desfalques, de subornos, de extorsão de dinheiro. Boas cunhas, licenciaturas feitas à pressa, engenheiros e doutores de pacotilha e de fax, pagamentos de favores, bons lugares de administração, bons carros, tudo do bom e do melhor. São alguns milhares, mas estão descansados porque têm 10 milhões a pagar por eles e para eles.

É isto a democracia desta gente! Gente?, Classe política? não... não merecem  ser assim chamados. Antes escumalha, podridão, escroqueria, vigarice, ladroagem...o que se quiser!

Por isso já nem querem comemorar o 25 de Abril na Assembleia da República. Não precisam. Já se encheram e agora, com o FMI à porta, tratam de resguardar o que foram "roubando" ao povo, ao povo que neles confiou com o seu voto.


Uns fugiram já para Cabo Verde, outros ancoraram as contas em Angola, grande parte tem ainda os paraísos fiscais onde guardam o "papel"... um desaforo.

Quando se trata da salvaguarda do país, quando é imperioso que os portugueses se entendam, quando é preciso que haja um modo de governar e gerir da melhor maneira este país, os "senhores" deputados não se querem entender... é que, se se entenderem, já ninguém mete dinheiro ou benesses nos bolsos, já ninguém vai mais para administrador das PTs ou das EDPs, para CEO das Mota-Engis, nem para Vice-Presidente dos BCP, nem beneficia dos Mercedes dos Godinhos das sucatas, nem das falências dos bancos privados, nem da força do avental maçónico, nem dos compadrios, nem nada disso.

Se houvesse justiça neste país, o deficit ficava muito reduzido porque muitas fortunas do pós 25 de Abril teriam que ser devolvidas ao Estado e ao Povo, de novo nacionalizadas, e os senhores do FMI já não teriam que emprestar os tais milhares de milhões mas, provavelmente apenas alguns milhões.

O 25 de Abril não foi feito para isto, mas a ambição e cegueira de alguns não deixou. O resultado, agora passados estes 37 anos, mostra que o 25 de Abril apenas permitiu que, em nome de uma democracia (a do demo = diabo), se fizesse isto tudo, as asneiras, os roubos, os descalabros. Quem se preocupou com a cultura da honestidade?, com o servir este país?, com o progresso correto desta terra?, com altruísmo?, com espírito de estado (como diz o sócrates - que só diz mas não pratica), com o verdadeiro espírito democrático? 

Poucos, muito poucos, mas não os suficientes para poderem dar a volta ao podre que se escreve com as mesmas letras de poder.

Classe política? Querem o meu voto?

TOMEM...

 

2 comentários:

Anónimo disse...

Ok sr.DR,já reparou que aquele zé povinho,é muito safadinho...???Não tem pernas,nem pés coitadinho...ahahahahhaha

Anónimo disse...

Apoio o Zé Povinho!