Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 15 de março de 2011

O ACORDAR

Gosta de se levantar cedo, de ver o dia a clarear, de sentir os primeiros raios de sol a aquecerem-lhe o corpo, de assistir ao apagar suave dos luzeiros num céu quase negro e que, a pouco e pouco, se vai vestindo de um azul claro, de olhar o vapor a escapar-se das águas mansas da lagoa, de ver a Lua a sorrir para Vénus depois de uma noite a dois, de ouvir o acordar dos pássaros e o cantar do galo, de saber que, cada dia, a natureza renasce.

(Infantado - 1 de Março de 2011)
Quando o dia amanhece assim, quando tudo está em paz e em tranquilidade, lembra-se muitas vezes da canção tão docemente interpretada por Françoise Hardy (França).

LE PREMIER BONHEUR DU JOUR -  (letra: Frank Gérald / Música: Jean Renard, 1963):

Le premier bonheur du jour
C'est un ruban de soleil
Qui s'enroule sur ta main
Et caresse mon épaule.

C'est le souffle de la mer
Et la plage qui attend
C'est l'oiseau qui a chanté
Sur la branche du figuier.

Le premier chagrin du jour
C'est la porte qui se ferme
La voiture qui s'en va
Le silence qui s'installe.

Mais bien vite tu reviens
Et ma vie reprend son cours
Le dernier bonheur du jour
C'est la lampe qui s'éteint.

http://www.youtube.com/watch?v=CrHA9gA8qpE



2 comentários:

Anónimo disse...

O amanhecer, o anoitecer, são excessivamente breves no total de cada dia feito de mágoa...

Anónimo disse...

Se em vez de breves, fossem longos, nem reparávamos. A Natureza é sábia...