Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 25 de março de 2011

NAQUELE TEMPO

"SOB O CARAMANCHÃO DE GLICÍNIA LILÁS
AS ABELHAS E EU
TONTAS DE PERFUME

LÁ NO ALTO AS ABELHAS
DOIRADAS E PEQUENAS
NÃO SE OCUPAVAM DE MIM
IAM DE FLOR EM FLOR
E CÁ EM BAIXO EU
SENTADA NO BANCO DE AZULEJOS
ENTRE PENUMBRA E LUZ
FLOR E PERFUME
TÃO ÁVIDA COMO AS ABELHAS"

(Obra poética - Sophia de Mello Breyner Andresen - Poemas Dispersos)

Tão ávida do viver, tão ávida do sonhar, tão ávida do alcançar...

Sem comentários: