Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, 29 de março de 2012

O VENTO

Quase Suão, a deixar a terra ainda mais seca, a inclinar árvores, a partir ramos, a lançar longe as pétalas de flores frágeis, a soprar secura, a uivar rajadas...

(O VENTO NA SERRA DE SÃO MAMEDE)
Ainda não é quente nem esfarela os ossos mas angustia e preocupa... a seca, esta seca, esta secura de tempo, este pó que queima, que faz chorar!

E quando o vento traz as núvens, quando pinga e faz que chove, traz uma chuva de águas brancas, leitosas, um pó de água ou uma água em pó, que não lava, que não molha, que só suja...

Será que Abril trará as águas mil?

.

2 comentários:

Carlota Pires Dacosta disse...

E a chuva que tanta falta faz, e por aqui, nada!!
Tenho saudades de andar à chuva, sentir o cheiro da terra molhada.
Bom fim de semana.
Beijinhos

Anónimo disse...

Vento e chuva, frio e lareira, um café forte e um abraço quente - e eu seria feliz!

Beijos
Berta