Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FIM

 
Cheguei ao fim.

Finalmente!

É que foram 365 dias. Ainda bem que não fui bissexto porque, se não, lá teria que aguentar com mais um dia.

Trezentos e sessenta e cinco dias é obra!

Experimentem multiplicar por 24 horas. Se fosse o Guterres a fazer as contas de cabeça diria: isso são umas... ora deixa lá ver, 365 dias vezes 24 horas, 3 vezes 2 mais 6 vezes 4, isso vai dar umas...hum... umas... hum... ninguém tem por aí uma máquina de calcular?

Eu sei de cor, porque me passaram todas essas horas pelo corpo, as 24 nos 365 dias, nem mais nem menos do que 8760 horas. E depois há ainda mais outras horas: aquelas horas que demoram imenso tempo a passar, as horas mortas, as horas vagas, as horas esquecidas, a hora de verão e de inverno, as horas contadas, as horas de almoço e das outras refeições, as horas para tudo, a hora para despedir... um ver-se-te-avias de mais horas a somar às tais 8760 das 24h dos 365 dias.

Se com isto das horas fiquei arrasado imaginem, então, se contasse os minutos ou os segundos... não havia blog que chegasse. Porque, para além da matemática dizer que num ano de 365 dias há 525600 minutos, temos ainda que contar com o minuto de prazer, o minuto de silêncio, o minuto de atenção...

Parece que já não vou ter minutos e, muito menos, horas para mais nada. 

Está quase na hora de me despedir, de dizer adeus e de saudar o 2011, um 2011 que não augura nada de bom. 

Dizem que vai ser o ano da crise, maior do que aquela que passou por mim. Desejo-lhe sorte e coragem!



Feliz ANO NOVO!

2 comentários:

Anónimo disse...

Eu sei que é um "cliche",mas vamos ter esperança de que não doa tanto.
Feliz ano novo, amigo!!!!
Beatriz Morcego

Anónimo disse...

Coragem. Sobretudo, muita coragem...