Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 27 de maio de 2012

MAL ME QUER

De que cor são os malmequeres?

São brancos ou serão amarelos? São da cor dos campos ou da cor da primavera? São da cor da alegria ou, porque naquele prado, por serem todos da mesma cor, são da cor da monotonia?

Perguntava-se sempre, naquela dualidade do mal me quer ou do bem-me-quer, do sim ou do não, do medo ou da paz, da tristeza ou da alegria, da discórdia ou da concórdia, do pavor ou do amor, do um ou do outro...

E, cada dia, sempre que pegava numa flor e, à medida que ia arrancado as pétalas, uma a uma, de cada vez, ia pensando no mal que ele me quer porque me acha sempre gorda ou no bem-me-quer porque sou o amor da sua vida, no mal que ele me quer porque diz sempre que já estou velha ou no bem-me-quer porque é comigo que quer viver o resto das nossas vidas, no mal que ele me quer porque faz a vida a meias e não me dá dinheiro para  nada ou no bem-me-quer porque sempre me ajuda, e nem preciso pedir, no mal que ele me quer porque me trai em cada hora, em cada dia ou no bem-me-quer porque fez da fidelidade a sua vanguardia, no mal que ele me quer porque de mim, todo o tempo, desconfia ou no bem-me-quer porque em mim sempre confia... até que se acabavam as pétalas e ficava na mão, com a flor nua, sem préstimo,  sem vida!

Sem saber nunca como acabava, se na pétala do mal me quer, ou na outra do bem querer!

(do autor - em Argela)

Passava os dias como uma Dona Flor que confundia o espírito do Vadinho com a realidade do dia a dia, que queria um mas sonhava outro, que entrava na loucura do tormento sem saber se devia manter-se fiel ou se cedia...

E hoje que vim aqui, apenas, para saber da cor dos malmequeres!





.

4 comentários:

Anónimo disse...

Como sabe pegar bem num tema... A dualidade da vida, o bem e o mal, o sim e o não, o querer e o dever...
Parabéns
Beijinhos
Vera

Anónimo disse...

Lindo texto, amei!

Beatriz

Anónimo disse...

É muito bom iniciar o domingo tendo por companhia a leitura de tão criativo e encantador texto!
Muito obrigada pelo envio. Beijinhos, lola

Anónimo disse...

Surpreende-me de cada vez que venho ao seu Bloggtrotter.
O que uma fotografia sugere? Um texto surpreendente (perdoe o pleonasmo!).
Obrigado
LM