Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 20 de maio de 2012

ARCO-ÍRIS

Encheu o princípio da manhã de cor!

Um arco-íris de cores fortes, espesso e largo. 

Acordou a cidade que estava, de um lado cheia de sol, no meio cheia de cor, e lá ao fundo cheia de de chuva!

(do autor - Lisboa, hoje, às 7h30m)

"XVII


No meu prato que mistura de Natureza!
As minhas irmãs as plantas,
As companheiras das fontes, as santas
A quem ninguém reza.
E cortam-nas e vêm à nossa mesa
E nos hotéis os hóspedes ruidosos,
que chegam com correias tendo mantas,
Pedem «Salada», descuidosos...
Sem pensar que exigem à Terra-Mãe
A sua frescura e os seus filhos primeiros,
As primeiras verdes palavras que ela tem,
As primeiras cousas vivas e irisantes
Que Noé viu
Quando as águas desceram e o cimo dos montes
Verde e alagado surgiu
E no ar por onde a pomba apareceu
O arco-íris se esbateu..."

Fernando Pessoa (Alberto Caeiro)
In O Guardador de Rebanhos



.

3 comentários:

Maria Paz disse...

Olá
Ultimamente tem brindado quem por aqui passa com fotografias fantásticas. Não percebo nada do assunto mas acho que estão bem enquadradas, bem iluminadas e adequadas ao texto... esse também nos faz voltar todos os dias.

Hugs

Anónimo disse...

um arco-íris ......terníssimo. beijo.............S.
Isabel Mendes Ferreira

Anónimo disse...

Arco-íris... sempre nos enternecendo...
Ana Hertz