Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 9 de abril de 2012

NESTE DIA

Neste dia de mar e de nevoeiro
É tão próximo o teu rosto.

São os longos horizontes
Os ritmos soltos dos ventos
E aquelas aves
Que desde o princípio das estações
Fizeram ninhos e emigraram
Para que num dia inverso tu as visses.

Aquelas aves que tinham
Uma memória eterna do teu rosto
E voam sempre dentro do teu sonho
Como se o teu olhar as sustentasse.


(do autor - Caminha)


Sophia de Mello Breyner Andresen - Obra poética.


.

1 comentário:

Anónimo disse...

Lindo este texto da Sophia !
Mil beijos