Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 11 de abril de 2012

ATRAVESSAR

Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento


(do autor - Vulcão dos Capelinhos -Faial - Açores)

PARA ATRAVESSAR CONTIGO O DESERTO DO MUNDO - Sophia de Mello Breyner Andresen - Obra poética.


.

2 comentários:

Anónimo disse...

Sempre me fascinou o deserto! Adoraria atravessá-lo, de verdade, sem o sentido metafórico e dolorido do texto de Sophia.
Beijos
Berta

Anónimo disse...

"Vivo sempre no presente. O futuro, não o conheço. O passado, já o não tenho.

A minha vida é como se me batessem com ela.
A solidão desola-me; a companhia oprime-me.

A vida é um novelo que alguém emaranhou."

Mil beijos