Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 30 de abril de 2012

DESCONSTRUÇÃO

"...
Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou pra descansar como se fosse sábado

(do autor - Castelo de Mourão)
...
Subiu a construção como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego
Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
...
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
..."
Chico Buarque - Construção - 1971


As paredes sólidas, como por um passe de magia, mas, certamente, por força das conjunturas, dos créditos malparados, de muitas parcerias, de muito cimento, de muita estrada e pouco tráfego, de muito paraíso fiscal, de muita corrupção, de muito enriquecimento ilícito, de muito de tudo, transformaram-se em paredes flácidas, abandonadas, a mostrar como se vai desconstruindo, tijolo a tijolo, parede a parede, um país historicamente sólido.

O pássaro voou... 

Mas sempre ficam as ruínas...

.

Sem comentários: