Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 2 de junho de 2010

A MOTO

Ontem, dia mundial da criança, resolvi remoçar um pouco e fui de moto até ao meu Alentejo.
Saí cedo, pela fresca da manhã, pois o dia prometia calor, e regressei ao fim do dia. Cheguei já tarde na noite.
Um passeio solitário mas agradável, por estradas de montanha, com muitas curvas, a rever paisagens conhecidas e amadas, a sentir o cheiro dos campos ainda verdes e a matar milhares de insectos que se esmagavam no vidro da moto e na viseira do capacete.
Também voltei às emoções das duas rodas, ultrapassando, quando a ocasião se prestava, os limites de velocidade e deitando de lado, nas curvas, quase à Giacomo Agostini.
Foi bom: revigorei, senti-me mais jovem e, pasme-se, depois de mais de 500 Km andados, não me senti cansado, nem com dores nas costas. 
Estes tratamentos de juventude, não há dúvida,  fazem bem ao corpo e à alma!
E, além disso, esta moto dá-me energia e endurance (pudera! quase 400 Kg de moto), é a minha cafeína em duas rodas. Por isso gosto tanto tanto dela. 
Já somos companheiros de viagens há mais 15 anos.
Quem diria? O tempo (outra vez o tempo!) passa depressa... parece que ainda ontem a comprei!
E ela ainda está ali, para as curvas... sem curas de emagrecimento, rugas de expressão, sem maquilhagem e sem Botox.
Pelos vistos, acho que posso dizer o mesmo de mim... rsrsrsrs.

1 comentário:

Viviane Costa disse...

Meu Deus, como vc faz isso comigo, hein? Publica a foto dessa moto linda e descreve detalhes a ponto de eu sentir o vento embaraçando meus cabelos? Agora estou aqui, há milhas de distância, morrendo de inveja, rs! Ahhhh, eu quero, eu quero e eu quero! Hahahahaha.