Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 16 de junho de 2010

CABULANÇO

Foi feito um estudo nacional sobre cábulas.

Agora, que se aproxima o final do ano, que está perto o fim dos cursos, aumenta a batotice. 

A média nacional do copianço ronda os 60% e a desonestidade é maior entre os rapazes, que têm uma propensão à cópia em 20% acima das meninas.

E, se há cábulas por todo o lado, eles abundam mais nas zonas  desertificadas e pobres, é  assim que o Alentejo é a zona onde a cabulice domina - oito em cada dez! É obra!
Estes são os resultados de um estudo realizado nos cursos públicos de Economia e Gestão, publicado em Maio, no Journal of Academic Ethics.
E o treino começa logo na primária e na faculdade é "universal".
Num outro estudo, realizado na Universidade do Minho - "O copianço na universidade: o grau zero na qualidade "-  demonstra-se que três em cada quatro alunos universitários assumem copiar nos exames e 90% destes já trazia essa mania desde os tempos do liceu.

Para além dos copianços, ideia que deve vir dos copistas da Idade Média, há também quem utilize a técnica do fax - são os faxistas -. Estes inscrevem-se em Universidades criadas a propósito, têm professores que sabem de tudo, fazem exame aos domingos e recebem o diploma por fax.
Habitualmente são socialistas mas, no fundo, não sabem o que é ser social, porque o social deles tem a ver com as sociedades a que pertencem - da maçonaria ao copus gay - e com atitudes de olhar primeiro para o próprio umbigo e só muito depois para o "povoqueselixe".

Curioso que estes faxistas vão tendo, à medida que o tempo passa e o poder os corrompe, um comportamento homófono à sua condição (em vez do x passam a ch).

Também o adolfo dizia que era nacional e socialista... será que se pega?
Espero que não, oh zé!

Sem comentários: