Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

PODIAM-ME IXPLICAL?

Agora que temos os chineses como accionistas maioritários da EDP, parece que vamos poder passar a pagar as contas nas inúmeras e diversas filiais que são as lojas dos chineses, tanto em Yuan como em Euros.



Nós também por lá andámos, há mais de quinhentos anos, e, em troca, recebemos Macau que administrámos até há pouco tempo.

Tudo bem! Acho que está na altura de nos abrirmos a outros negociadores e capitalistas e não nos sujeitarmos, apenas, ao capitalismo ocidental 

Mas, no meio disto tudo, há uma coisa que não entendo muito bem e que passo a citar dos jornais:


"De acordo com a proposta à reunião magna de accionistas, que consta na página na Internet da EDP, Eduardo Catroga, ex-ministro das Finanças pelo PSD, entre Dezembro de 1993 e Outubro de 1995 (terceiro Governo de Cavaco Silva), é o nome proposto para presidente do conselho geral da EDP.

Além do ex-ministro das Finanças e da ex-ministra da Justiça Celeste Cardona (CDS/PP), figuram ainda, entre os nomes propostos, a Parpública, a José de Mello Energia, Carlos Santos Ferreira, José Maria Espírito Santo Ricciardi, o também ex-ministro das Finanças do segundo Governo de Cavaco Silva Jorge Braga de Macedo, o ex-secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros Paulo Teixeira Pinto, e o ex-governador de Macau Rocha Vieira."


Já repararam que, a maioria dos nomes propostos, são figuras gradas da maioria que nos governa? Ex-ministros do PSD e do CDS/PP, ex-secretários de estado e ex-governadores que, depois de terem abandonado os cargos já andaram a passear pelas mais diversas administrações da CGD, do BCP e de outras empresas público-privadas?

O que eu não percebo é porque é que é preciso tanta gente e porque é que são sempre os mesmos que vão tendo os melhores tachos?

Daqueles nomes todos propostos só vejo que haja lógica em duas pessoas: o Rocha Vieira, que foi o último governador de Macau e que deve perceber um mínimo de cantonês e mandarim para se entender com o grupo chinês, e a Celeste Cardona porque, como a China é um Império Celestial, o nome está perfeitamente apropriado. Agora os outros, meu Deus! Tantos ordenados chorudos a pagar, tantos cartões de crédito e carrões de luxo, tantas reformas douradas a receber daqui a meia dúzia de anos (ou serão apenas meses?)... Acho que não faz sentido!

Mas se, por acaso, faz sentido, então proponho-me para ir para lá, também. É que o meu nome, lido de trás para diante dá LUAR, e LUAR tem qualquer coisa a ver com o céu, e a Lua sempre é um Corpo Celeste! À conta disto será que não me arranjam um lugar de vice-conselheiro geral, ou vice-qualquer coisa, ou mesmo assessor da Celeste?

E prometo, logo a seguir, ir-me inscrever numa loja maçónica qualquer - poderá ser a "Luar Celestial" (será que existe?) -, no PPD/PSD e, se necessário, também no CDS/PP.

Ah! e já agora, também queria ter direito à electricidade de borla!


- ...

Desculpa, não entendi o que disseste, ò Celeste?




2 comentários:

Anónimo disse...

Concordo inteiramente. Acho um escândalo estas nomeações, e não é por serem da cor do governo. É por serem absolutamente desnecessárias!

Beijos
Berta

MJ FALCÃO disse...

D'accord...
Mas..."O que eu não percebo é porque é que é preciso tanta gente e porque é que são sempre os mesmos que vão tendo os melhores tachos?"
Ou percebemos????