Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

TENTAÇÃO

Foi resistindo à tentação!

Aquilo era uma verdadeira bomba calórica! A gema de ovo com açúcar, o açúcar glaceado a envolver aquela bola bem amarela e redonda, como se fosse um ovo. E, por fora, o papel branco, de pontas retorcidas, a lembrar um rebuçado grande.

Ficara ali, o último, naquela caixa de vidro com tampa, na prateleira escura do armário. Cada vez que abria a porta para tirar um pacote de chá, ou o frasco da canela, ou a cápsula do café, olhava-o com olhos gulosos. Ele, quieto, parecia, também, olhar para ele! 

E, assim, durante semanas, a troca de olhares, foi-se trocando... até hoje!

Não resistiu: levantou a tampa de vidro, pegou pela ponta de papel, pareceu-lhe que o sentiu a estrebuchar, mas não ligou, desembrulhou-o e, antes que se arrependesse, meteu-o, de uma só vez, na boca. 

Deixou que a capa de açúcar branco se derretesse lentamente e, depois, quando sentiu que já só havia aquela massa de gema bem doce, trincou-a suavemente, deixando que o paladar único do rebuçado de ovo se liquefizesse na boca a perdurar sabores conventuais.

Não resistiu à tentação! Abençoado pecado!


2 comentários:

Carlota Pires Dacosta disse...

E sabia que a verdadeira doceira desses ovos cá em Portalegre foi a minha tia por afinidade, a "Maria Antónia dos Piretes ou da rua do pirão"??
Esses sim os verdadeiros rebuçados de ovos que algumas vezes ajudei a embrulhar, eheh.
Beijo

Anónimo disse...

Rebuçados de ovo? Mas isso existe onde? Só conheço chocolates e rebuçados mesmo, de açúcar, quase como os caramelos!
Beijos
Berta