Ocorreu um erro neste dispositivo

sábado, 29 de outubro de 2011

A HORA A MAIS

Esta noite vamos dormir mais uma hora, mas não sei se ganhamos algum tempo de sono porque, às duas horas da manhã, à hora a que se deveria estar a dormir mais profundamente, é a essa hora precisa que dizem para se atrasarem os relógios. E dizem-no de uma maneira muito formal e imperativa: "Na próxima madrugada, quando forem duas horas da manhã, os relógios devem ser atrasados por uma hora, voltando para a uma hora da manhã!".

Por isso não vale a pena ficarmos contentes que vamos dormir mais uma hora. Com aquela "ordem" o que vou ter que fazer é pôr o despertador para a 1h 59m e, mal acorde, andar com os ponteiros para trás uma hora. Mas não são só os ponteiros do despertador, são os dos relógios todos da casa, da cozinha à casa de banho, passando pela sala de estar, pela sala de jantar, pelo escritório, mais o relógio de cuco na parede e os de trazer no pulso.  Com isto tudo, a tal hora que, diziam, se ficava a mais na cama a dormir, não vai passar de uma grande mentira.

Talvez seja importante ganharmos horas ao dia, regularmos a nossa actividade produtiva de acordo com o sol. Até estou de acordo! Se assim não fosse lá nos tínhamos de levantar noite escura, sair de casa às apalpadelas porque agora, com a crise, as luzes da rua apagam-se mais cedo, e regressarmos a casa já de noite, em plena escuridão! Assim, deste modo, sempre saímos de casa com luz natural!

Mas o pior, para mim, é o sentido de obrigatoriedade de ter que ser às duas da manhã!

(Da colecção do autor)

Porque não às oito, ou às nove? Seria muito melhor... A pessoa dormia as horas que normalmente lhe apetecem, desta vez ciente que ainda tinha mais uma folga de sessenta minutos e, quando acordasse, tinha a boa sensação de saber que afinal ainda não eram as oito, ou nove, ou dez horas da manhã, mas uma hora a menos e que ainda dispunha de um extra de tempo para fazer o que quisesse, inclusivamente, o tempo, mais que necessário, para ir acertar os relógios da casa. 

Eu cá já sei o que vou fazer: como falta pouco tempo para as duas horas da madrugada, mal acabe de escrever este blog, vou estirar-me no sofá da sala, ver um filme na televisão e, à uma hora e cinquenta e nove minutos, lá vou fazer a ronda dos relógios.

É que não sei se, com tanto controle, com tanto aperto, com tanto rigor da governação, não me mandam um fiscal cá a casa e me multam por andar adiantado uma hora.

Sempre era mais um dinheirinho extra que entrava para os cofres deste Estado falido. 

E

1 comentário:

Anónimo disse...

Detesto esta hora assim! Mas sabe bem ficar na sorna mais uma hora.

Beijinhos
Berta