Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 24 de julho de 2011

AMY WINEHOUSE

Parece que escolheram todos a mesma idade para morrerem (ou se matarem), aos 27 anos:

Robert Johnson, guitarrista e cantor de blues, há quase um século;

Brian Jones, inglês, um dos fundadores dos Rolling Stones;

Jimi Hendrix, um dos maiores guitarristas de sempre de Rock;

Jim Morrison, um cantor dos anos 60 que fez parte do grupo The Doors;

Janis Joplin, de voz marcante, sempre ligada ao Rock, deixou-nos o "Me and Bobby McGee" e o "Mercedes Benz"; 

Kurt Cobain, vocalista e guitarrista dos Nirvana;

Amy Winehouse.

As causas da morte, para alguns, ficou associada ao álcool e às drogas, para outros ficou-se no não esclarecimento, no suicídio, no afogamento ou no envenenamento.

Todos eram bons nas canções, na música, no espectáculo.

Dói ver jovens a morrerem (ou a matarem-se), quando tinham, aparentemente, condições e possibilidade para viverem muitos anos.

Ficam, todos, no mesmo patamar da fama, porque o génio deles não vai morrer.

Há uns bons anos, muitos já, fiz um desenho a tinta da china que chamei de "Senhora com laço no sapato". Hoje, ao olhar para ele, "vi" a imagem da Amy Winehouse.

Fica o desenho:

3 comentários:

Anónimo disse...

Muito curiosa a coincidência. Mas gostei mesmo foi do seu desenho em tinta da china. Beijinhos, lola

Anónimo disse...

Bonita homenagem a Amy Winehouse.

Anónimo disse...

Talvez faça sentido procurar a orte antes da degradação total. Deve ser libertador.
Beijos