Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O VOO

Parecia um enorme pássaro, aquele avião.

E veio-lhe à memória o avião de lata, que lhe tinham comprado na Feira dos Santos, quando era mais miúdo.

Com algumas diferenças: neste, a cor predominante era o branco, no outro, no de brincar, a cor exterior era a das embalagem de lata que lhe deram origem (as salsichas do Isidoro, o atum Tenório, as sardinhas da Maria Elisabeth, o chocolate do Ovomaltine ou do Milo...), este era um avião a sério que voou muito bem, o outro, o de brincar, nem o atirando com força pelo ar e com o hélice a rodar, era capaz de voar, nem meio metro, caía logo a pique, este era um avião novo, cheio de tecnologia, de muitos bancos e de pouco espaço entre eles, o outro, o de brincar, tinha no interior a tecnologia de um elástico que se enrolava à mão quando se queria pôr o hélice a girar.


É que no dia em que veio para o Arquipélago Açoriano o avião vinha tão cheio, tão cheio, que as pessoas vinham como as sardinhas de conserva, em lata, todas bem acamadas, encostadas, alinhadas, quase sem espaço para se mexerem. E não era um desses voos "low cost".

Mas é bom que assim seja, é bom para estas ilhas que venham muitas pessoas, para darem movimento, animarem as terras, criarem riqueza.

E estas ilhas merecem, pela riqueza do seu património natural, quase único no mundo, pela biodiversidade, pelas paisagens, pelo contacto com a natureza, pelos vulcões e pelas caldeiras, pelos picos, pelas praias de areia de lava, pelo verde dos campos, pelo azul intenso do mar, pelas hortênsias, pelas curraletas, pelo peixe, pela carne, pela simpatia das pessoas, pela calma e tranquilidade, pelo bem-estar que se sente aqui.

Por isso não se importou de vir, como sardinha em lata, e também porque se lembrou do seu velho avião de lata, de asas grandes como as de um pássaro, com o enorme hélice na frente, que girava pela força do tal elástico que era enrolado à mão...



2 comentários:

Anónimo disse...

"Viajar! Deixar países..." - É sempre uma vivência de liberdade e sonho. Boas férias!
Beijo
Berta

Maria Paz disse...

Já nem me lembrava desses aviões de lata com elástico. Não voavam? E eu a pensar que sim.