Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 3 de junho de 2013

BORBOLETAS


Não voam, esvoaçam! Andam pelo ar de uma forma única! Ora aqui, ora ali, sem linhas rectas cumpridas. Preferem o ziguezaguear ligeiro, inconstante, com paragens mais ou menos prolongadas numa flor, num ramo, numa folha ou, simplesmente no solo.

As asas são grandes e são bonitas. Todas com desenhos de uma simetria inigualável, perfeita. As cores, podem ser as mais variadas, sejam só de uma única cor com vários tons e desenhos, sejam multicolores, de beleza incomparável.

Duram pouco tempo, o quase suficiente para acasalarem, porem os ovos e morrerem. Apesar de  não renascerem das cinzas, como a Fénix, são consideradas o símbolo da transformação, do ressurgimento e do renascimento.

E, quando esvoaçam pelos campos, quando saltitam de flor em flor, quando abrem e fecham as asas, em todo o seu esplendor, parecem pétalas coloridas que pairam no ar, levadas por um vento suave que ciranda e gira diante do nosso olhar...

(DO AUTOR - BORBOLETA DO JARDIM)





7 comentários:

Anónimo disse...

adorei a forma como definiu as "minhas" borboletas, um bem haja Sr. Professor
Cris Neves

Anahertz Magalhaes disse...

Sou apaixonada por borboletas...

Anónimo disse...

Como sempre maravilhoso.
Maria de Lourdes Silva.

Anónimo disse...

Eu corri atrás de uma borboleta amarela e preta!!!
Sara Santiago

MJ FALCÃO disse...

Que linda borboleta!!! Fiquei fascinada porque ADORO borboletas, sempre adorei. Lembro o meu pai a ensinar-nos tudo sobre as borboletas numa tarde de Verão.
Acho que lha vou roubar. Posso? Abraço em troca...

Anónimo disse...

Amei o tema e o texto.
Vera Menna Barreto

Anónimo disse...

Muito bonito. Quanta sensibilidade.
Anna Kelly