Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 19 de junho de 2013

COISA AMAR


"Contar-te longamente as perigosas
coisas do mar. Contar-te o amor ardente
e as ilhas que só há no verbo amar.
Contar-te longamente longamente.

Amor ardente. Amor ardente. E mar.
Contar-te longamente as misteriosas
maravilhas do verbo navegar.
E mar. Amar: as coisas perigosas.

Contar-te longamente que já foi
num tempo doce coisa amar. E mar.
Contar-te longamente como dói

desembarcar nas ilhas misteriosas.
Contar-te o mar ardente e o verbo amar.
E longamente as coisas perigosas."

Manuel Alegre - Coisa Amar 




(DO AUTOR - AQUI A TERCEIRA, AO LONGE SÃO JORGE E O PICO, NO MEIO, O MAR)

4 comentários:

Anónimo disse...

Belo poema e fotografia!
Maria João Falcão

Anónimo disse...

Uma beleza, o poema. E a foto! Linda!
Vera Menna Barreto

Anónimo disse...

Tudo de uma beleza ímpar.
Ana Hertz

Anónimo disse...

Uma beleza.
Maria De Lourdes Silva