Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

IGNORANTES

Estava ali! 

No meio do barulho, do desconforto provocado por aquela gente toda, das conversas que o incomodavam, dos comentários que não gostava de ouvir, dos atropelos ao bom-senso, da sobranceria, da mediania de opiniões, de frases lapidares...

E não podia fugir! 

Bastava abrir um jornal, ouvir as notícias na rádio, ligar a televisão na hora dos telejornais ou assistir a um confronto de ideias qualquer...

Estava farto!

De ouvir catedráticos a chamar ignorantes aos empresários, de ouvir empresários a dizer que não queriam nas suas empresas catedráticos daqueles, de assistir a debates feitos de teorias nunca experimentadas...

Saturado!

De medidas para isto, de aumentos de aquilo, de mentiras quase sempre, de conversas de muita treta, de desmentidos desconvictos, do "diz que disse mas não disse"...

Furioso!

Com as fundações, as parcerias, os assessores, os sugadores, os paraísos fiscais...

(DO AUTOR - NO TEJO, FRENTE À BAÍA DE CASCAIS, NUMA TARDE DE VERÃO - 2012)
Se pudesse!

Fugia, partia por aí fora, ia embora, arrumava as saudades numa caixa de sapatos, deixava que o vento o levasse e, num porto qualquer, o deixasse, longe daqui, longe disto, longe destes ignorantes...



.
 

4 comentários:

Anónimo disse...

Eu também quero fugir daqui !?

Ana Perestrello

Anahertz Magalhaes disse...

O texto esta pefeito... arrumar as saudades... muito bom!

annie hall disse...

Ir embora ! Na verdade creio que muitos de nós sentimos o mesmo . Quando se consegue estar longe um tempo em vez de voltarmos cheios de ideias e planos ...custa tanto vir :(

Anónimo disse...

Também gostava de ir...

Jorge Costa