Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 2 de maio de 2011

O BIN LADEN

A notícia correu célere, encheu os noticiários das rádios e das televisões, esgotou páginas de jornais, monopolizou os comentários e os editoriais.

Em 40 minutos concretizou-se uma perseguição de anos, as balas atingiram o alvo e o corpo foi atirado ao mar, provavelmente já comido por tubarões.

E agora? Respira-se de alívio ou o respirar vai-se tornar mais angustiante? Quais as consequências, quais as represálias, como se irá vingar a morte de um ídolo de uma seita do mal?

No arrasto disto surge a instabilidade dos mercados económicos, o aumento do preço do barril do petróleo, a dificuldade na obtenção dos bens essenciais...

São os homens a escangalharem, mais uma vez, a harmonia da Terra e o equilíbrio da Natureza, a fomentarem, ainda mais, a discordância e o desentendimento, a fazerem a rima de irracionalidade com instabilidade, de insegurança com desconfiança, de segredo com medo, de horror com pavor... 



É que o 11 de Março e o 11 de Setembro ainda preenchem as nossas angústias e acentuam, cada vez mais, os nossos temores!


 


3 comentários:

Anónimo disse...

Temo que não seja o fim do terror...

jorge disse...

Deixa lá! pelo menos este já não magoa mais ningué. É pena que por cá ninguém tenha coragem para meter na ordem os bin ladens que por aqui pairam

jorge disse...

Não consigo deixar um comentário, não sei porquê!? Faço tudo direitinho e...nada!