Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 17 de novembro de 2013

CORDEIRO DE NATAL


Poderia ser o Cordeiro Pascal se fosse perto do tempo da Quaresma e de Páscoa...

Mas não, agora que é quase a época de Natal - na verdade até há maduros que querem pôr o Natal em Novembro não respeitando minimamente as tradições e o provérbio alentejano "chuva em Novembro, Natal em Dezembro" - este cordeiro, saído do interior de um tronco de árvore, onde estava bem aconchegado, irá, certamente, fazer parte de algum presépio, daqueles de figuras em tamanho natural...

Pareceu fácil o nascimento... apenas foram precisos três ou quatro golpes no cerne duro do tronco e a figura do cordeiro surgiu assim, como se tivesse estado, tranquilamente, à espera de alguém que o tirasse lá de dentro... como se tivesse sido uma cesariana vegetal...

Agora, calmamente, aguarda que as mãos do escultor-artista lhe amaciem os ângulos da cabeça, lhe aconcheguem as orelhas e lhe faça nascer a lã encaracolada por todo o corpo...

 
(DO AUTOR - A ESCULPIR DE UM TRONCO - CASTELO DE VIDE)

1 comentário:

Anónimo disse...

Uma obra rústica e linda! Há ternura nela.

Ana Lacerda