Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

CÓDIGO MORSE



À medida que o dia ia passando as nuvens foram-se enchendo de tons escuros e começaram a tapar o Sol.

Primeiro, como um tule que foi embaciando a luz clara e quente do astro-rei... depois, à medida que se iam espessando, a luz foi-se atenuando cada vez mais, as sombras deixaram de se ver e o Sol só se adivinhava pelo halo claro que tentava, desesperado, furar aquele manto espesso.

Sentado na muralha, junto à beira de um mar plácido, foi-se apercebendo dos apelos do Sol encarcerado por aquelas nuvens densas... E foi lendo, naquela superfície lisa de um mar quase parado, as mensagens, feitas dos traços e pontos de um imaginário código Morse, escritas em reflexos luminosos, que o Sol ia deixando sobre as águas... 



(DO AUTOR - O SOL ESCONDIDO A EMITIR EM CÓDIGO MORSE)


Sem comentários: