Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 19 de novembro de 2013

CARROSSEL



Enchia de luz, de cor, de música e de animação aquele canto da praça... Fazia a delícia das crianças e o contentamento dos pais e dos avós...

Cada viagem durava três minutos... um quase nada de tempo para miúdos entusiasmados com o sobe e desce dos cavalos, o estremecer dos atrelados, a girarem ao ritmo de um realejo que tocava sempre a mesma música, que acelerava se o carrossel girava mais depressa e abrandava quando a velocidade diminuía...

E só quando o apito soava é que a viagem terminava... então, a roda começava a andar mais devagar, os cavalos abrandavam o seu trotar, o realejo ia perdendo o fôlego e a música quase que se sumia...

Depois, era a azáfama da troca de lugares... os que saiam, satisfeitos... e os que entravam, entusiasmados, expectantes, saltando para o cavalo que tinham escolhido enquanto, do lado de fora, ansiosamente, esperavam...

De novo o apito e a roda lá recomeçava a girar, com as luzes a acender e a apagar, os cavalos a subir e a descer, num trote disfarçado, com a música, monótona como o rodar do carrossel... mas com as crianças a sorrir e a gritar alegria... em mais uma viagem de encanto...



(DO AUTOR - CARROSSEL  NA PIAZZA DE SANTA MARIA NOVELLA - FLORENÇA) 

5 comentários:

Anónimo disse...

Adorava andar no carrossel. Ainda me lembro de um dia ,ao fim de jantar, devo ter tido uma paragem de digestão e ia sendo um sarilho. Era pequenita,claro!
Ivone Oliveira

Anónimo disse...

Que saudades !Agora vou com os meus netos.
Maria de Lourdes Silva

Anónimo disse...

Pobres e infelizes as crianças que nunca andaram no carrossel! Que saudades da minha meninice.

Ana Lacerda

Anónimo disse...

Adoro o carrossel (carroussel? carrocel? Boh...)
Maria João Falcão

Anónimo disse...

Quem melhor que o o DR.Amaral Marques, para nos levar até à infância, fazer sonhar, vê como são as cores do arco-íris que tem o CARROSSEL. Agora em Viseu andei com os netos. Voltei...
Orquídea Vintém Tavares