Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 13 de julho de 2012

ROUPA LAVADA

(DO AUTOR - ROUPA A SECAR - PONTA DELGADA)

Depois da festa arruma-se tudo, limpa-se a casa, coloca-se o que está fora do sítio no local certo e, por fim, lava-se a roupa que se foi sujando no meio daquela confusão toda.

E nada melhor que fazer uma  boa barrela, daquelas à moda antiga, com uma boa saponária e  esfregando-se o sabão em cada peça de roupa, até ficarem desencardidas, passando-se, depois, por várias águas até estas sairem límpidas. 


Se a roupa é de cor convém que a lavagem seja feita em separado, permitindo que cada peça tenha a possibilidade de ficar, além de bem lavada, sem as cores e as influências das outras.


Depois é pôr a roupa a corar e a secar ao sol, deixando-a, como nova, sem manchas e sem nódoas.


Sem reminiscências de dias antigos, sem lembrar  máculas passadas, esquecendo o sujo que ficou para trás e olhando o brilho e a cor de uma roupa que acabou de ser lavada.


Será sempre melhor dar uma passagem com o ferro de brunir. É que, assim, a roupa fica sem as rugas e sem os vincos da roupa acabada de lavar. E, quando voltar a ser usada, vai ser vestida com outro gosto, como se fosse roupa nova, acabada de estrear!







.

2 comentários:

Manuel Poppe disse...

Excelente fotografia, irónico e feliz texto.

Anónimo disse...

Também as roupas da alma podem ser lavadas... E vamos torná-las limpas e cheirosas...
Ana Hertz