Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 17 de julho de 2012

PELA MAGIA DUM RISCO


(DO AUTOR - O MAR AO ENTARDECER)


No fim da tarde
Que morre
A cor do oiro percorre
As águas quase quietas
Deste mar
Onde uma brisa
Em breves sopros desliza.


E quando as águas
Se ondulam
- Pela magia dum risco -
Soltam-se os tons que azulam
As espumas inquietas
Que na pressa de chegar
Se esgotam na beira do mar.

 


.

2 comentários:

Anónimo disse...

Deve ser bom, molhar os pés nessas águas de oiro sobre azul!
Bjs
LM

Anónimo disse...

Muito lindo! Obrigada pelo envio. Beijinhos, lola