Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

PRIMEIRAS CHUVAS


Passaram as primeiras chuvas deste Outono ainda criança... A água, que tudo molhou, avivou os verdes, fez brilhar, ainda mais, os amarelos e acentuou os castanhos e os vermelhos da Serra...

A mata, revigorada pela chuva, convida a passeios longos, mas exigindo um caminhar cauteloso naquele chão escorregadio, atapetado da caruma castanha, ainda húmida, e semeado por tufos de fetos e pinhas, dispersas, bem abertas...  

E o cheiro, a molhado de fresco, combina-se com os aromas da resina dos pinheiros e mistura-se com o dos castanheiros que começam a abrir os ouriços, libertando as primeiras castanhas...

Só faltam agora os frios das noites e das madrugadas para que os cogumelos, os tortulhos e os míscaros comecem a brotar do meio daquele chão, tão macio e fofo ao caminhar...


(DO AUTOR - AS PINHAS ABERTAS)


4 comentários:

Anónimo disse...

Genial!!!!Os cinco sentidos estão bem presentes neste texto...
Henriqueta Martins

Anónimo disse...

Há tanto tempo que não ouvia a palavra "míscaros". Faz falta mais um bocadinho de frio. Está um calor esquisito.
Ivone Oliveira

Anónimo disse...

O Outono também tem o seu encanto.
Maria de Lourdes Silva

Anónimo disse...

Lindas estas pinhas, embora já abertas e tendo libertado os seus tesouros escondidos durante bastante tempo. Mas o ciclo tem que se completar, a renovação é inevitável...
Maria Luísa Silva