Ocorreu um erro neste dispositivo

sábado, 26 de janeiro de 2013

A MINHA JANELA


A minha janela que dá para a rua, deixa-me ver, quando estou do lado de dentro, o que se passa de fora dela... E também, quando eu saio, quando me vou embora, a mesma janela, agora que estou do lado de fora, deixa-me ver o que se passa por dentro dela...

Hoje, quando saí, a minha janela mostrava, por detrás dos vidros embaciados pela água chovida e pelo frio que a condensava, flores brancas, curiosas, a espreitarem a rua, procurando o Sol que, faz mais que uma semana não aparecia ou, simplesmente, vendo quem passava pela rua, na tarde de nevoeiro e de frio deste dia?

(DO AUTOR - UMA JANELA EM MARVÃO)


5 comentários:

Anónimo disse...

Janelas... da casa, dos olhos, de nossa alma, da vida, em si...
Ana Hertz

MJ FALCÃO disse...

São belas as janelas! Porque abrem para fora! Mas também deixam ver o interior...
Beijinhos

Anónimo disse...

A foto é linda, leva-nos ao sonho...
Helena Cruz Baptista

Anónimo disse...

Lindo, lindo.
Maria de Lourdes Silva

Anónimo disse...

Bonita a foto, bonito o texto e adoro Marvão e janelas...
Joana Menano