Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 14 de agosto de 2012

ROUBO

(DO AUTOR - ASTÚRIAS)

"Quem me roubou o tempo que era um
quem me roubou o tempo que era meu
o tempo todo inteiro que sorria
onde o meu Eu foi mais limpo e verdadeiro
e onde por si mesmo o poema se escrevia"


Sophia de Mello Breyner Andressen - Poemas dispersos, in Obra Poética em Setembro de 2001.




.

2 comentários:

Luisa disse...

Sempre Sophia! A força destes poemas que sempre trazem algo de novo.
Beijos
Luísa

Anónimo disse...

Já lhe disse que a Sophia é a minha favorita!Gostei muito!!!.

Vera Menna Barreto