Ocorreu um erro neste dispositivo

sábado, 23 de junho de 2012

PÔR DO SOL

(DO AUTOR - DA MINHA JANELA, O PÔR DO SOL)


"...


Toda a paz da Natureza sem gente
Vem sentar-se a meu lado.


Mas eu fico triste como um pôr do sol
Para a nossa imaginação,
Quando esfria o fundo da planície
E se sente a noite entrada
Como uma borboleta pela janela.


Mas a minha tristeza é sossego
Porque é natural e justa
E é o que deve estar na alma
Quando já pensa que existe
E as mãos colhem flores sem ela dar por isso.


..."

Fernando Pessoa - Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Eu Nunca Guardei Rebanhos".


3 comentários:

Anónimo disse...

O pôr do sol dá sempre uma espécie de nostalgia que emociona os pensares e, quantas vezes?, agita os sentires...
Tristeza? Tantas vezes...
Bj
LM

Manuel Poppe disse...

Bom sábado, amigo! Linda foto! Confesso-lhe o pecado de não ser um "fã" do Pesssoa... Tal como ele pensava, aliás, prefiro o Sá-Carneiro... e outros...

Anónimo disse...

Linda a foto, quase uma irrealidade.
Há pôres do sol assim?
Bjs
Berta