Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 3 de junho de 2012

MATERNIDADE

Parecia um casulo rosa raiado pronto a eclodir... como um ovo a abrir-se em duas metades... à espera de um vento frágil para soltar uma das partes...

De repente, num abrir e fechar de olhos, numa silenciosa explosão, saltam da cápsula delicados botões, filhos comprimidos, aconchegados no seu interior, que se soltam daquele imbróglio de cabeças e de pedículos e começam a individualizar-se em flores brancas, azuis ou liláses, que vão ganhando tamanho e formando uma inflorescência globosa como se fosse um chapéu ou coroa...

(DO AUTOR - EM SINTRA - O ECLODIR DE UM AGAPANTO OU COROA DE HENRIQUE)

(DO AUTOR - SINTRA - A COROA DE HENRIQUE)
... as coroas de Henrique

.

3 comentários:

Anónimo disse...

A MATERNIDADE,é sempre bonita e especial,até mesmo nas flores!
Beijo.
S.M.

Anónimo disse...

Bela analogia!

Gosto muito da maneira como, serenamente, nos mostra o dia a dia.

M.L.

Anónimo disse...

Espectacular... é um erro o facto de a maioria das pessoas pensarem que os médicos não gostam de ler e/ou escrever. De facto conheço alguns que escrevem melhor e com um maior sentido crítico que algumas pessoas de humanidades...
Luísa Romão