Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

TELHADOS


"Se tu me amas, ama-me baixinho.
Não o grites em cima dos telhados.
Deixa em paz os passarinhos.
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda..."

Mário Quintana - Bilhete


(DO AUTOR - TELHADOS... EM GUILFORD - UK)







5 comentários:

Manuel Poppe disse...

Excelentíssima fotografia, bonita poesia.

Anónimo disse...

Gosto destes velhinhos e cansados telhados , onde gatos saltitantes e anafados preguiçaram ao sol!! Chuvas,brisas e areias deram à luz musgo verde,insectos voadores ali saciam sua sede! Telhados velhinhos varandas de passarinhos e pardais , telhados velhinhos que abrigaram nossos ninhos, mas que não voltam mais!!

Anónimo disse...

"Se tu me amas, ama-me baixinho.
Luísa Amaral

Anónimo disse...

Também gosto destes telhados... Boa noite!
Maria João Falcão

Anónimo disse...

Lindos telhados. Mas estes, como quaisquer outros, limitam os horizontes que conduzem ao infinito...
Maria Luísa Silva