Ocorreu um erro neste dispositivo

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

AS ILHAS


"Navegámos para Oriente -
A longa costa
Era de um verde espesso e sonolento.

Um verde imóvel sob nenhum vento
Até à branca praia cor de rosas
Tocada pelas águas transparentes.

Então surgiram as ilhas luminosas
De um azul tão puro e tão violento
Que excedia o fulgor do firmamento
Navegado por garças milagrosas

E extinguiram-se em nós memória e tempo".

Sophia de Mello Breyner Andresen - As Ilhas (1977)

(DO AUTOR - AS ILHAS LUMINOSAS)

















2 comentários:

Anónimo disse...

É tão gratificante ler Sofia de Mello Breyner.Obrigada,Raul.
Ivone Oliveira

Anónimo disse...

A fotografia é GENIAL! Sophia conheço de sempre.

Ana Lacerda